Arquivo da tag: linguagem jornalística

Iniciativa de um veículo de comunicação

Vejam uma matéria que divulga a prática de um veículo de comunicação de Fortaleza, em parceria com a Associação Nacional de Jornais.  A iniciativa é centrada na tentativa de ampliar a base de leitores, incentivando  a formação de leitores de jornais.

Conselho infantil de leitores http://opovo.uol.com.br/opovo/fortaleza/971600.html
10 Abr 2010 – 18h51min

O suplemento infantil do O POVO, o Clubinho, foi criado pela Cristiane em 1999 através da construção conjunta entre jornal e leitores. Antes mesmo da publicação do primeiro fascículo, a jornalista Cristiane Parente já contava com uma assessoria especializada: um conselho de leitores com idade entre 8 e 10 anos.

Ao longo de quase uma década de trabalho, o caderno passou por diversas modificações propostas pelas crianças. A cada edição, o conselho se reunia com a editora para avaliar o trabalho feito e sugerir os próximos passos.

A comunicadora acredita na inserção da criança nos veículos de comunicação como um passo essencial para a formação de leitores autônomos e cidadãos conscientes. “Além do crescimento pessoal, era legal ver as crianças tendo voz em um jornal, tido como coisa de adulto“, confirma a estudante de Artes Cênicas Rafaela Diógenes.

E-MAIS

A jornalista, professora e educomunicadora é mestre em Comunicação e Educação pela Universidade Autônoma de Barcelona e mestranda em Educação pela UNB.

Detentora do título de Amiga da Criança, promovido pelo Fundo das Nações
Unidas para o Desenvolvimento da Infância (UNICEF) e pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI), foi idealizadora do suplemento infantil do O POVO, o Clubinho.

Atualmente coordena o programa Jornal e Educação da Associação Nacional de Jornais (ANJ)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Comunicação, infância, Novidades

Cartilha Infância e Comunicação destaca 10 pontos a serem discutidos pela sociedade

A ANDI e a Rede ANDI Brasil lançam a cartilha “Infância e Comunicação: Uma agenda para o Brasil”. A iniciativa é resultado de uma série de ações promovidas por organizações que têm o objetivo de estabelecer uma agenda comum de temas a serem tratados na 1ª Conferência Nacional de Comunicação e na 8ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que acontecem em dezembro deste ano, em Brasília.

O material, que conta com o apoio da Fundação Itaú Social e do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), foi elaborado a partir da constatação sobre a necessidade de desenvolver um sistema de mídia que promova e proteja os direitos de meninos e meninas. Assim, foram formulados dez pontos fundamentais que possam contribuir para o fomento da reflexão sobre a responsabilidade dos veículos de comunicação junto ao público infanto-juvenil. Entre eles, há aspectos de estímulo aos benefícios da relação com a mídia e de proteção aos possíveis impactos negativos.

A regulação do setor por parte do Estado – bem como a participação das empresas de comunicação e da sociedade civil – é tida como instrumento fundamental na garantia da qualidade da informação disponível a crianças e adolescentes. A política de classificação indicativa, as ações de educação para a mídia, o incentivo à programação instrutiva e diversificada e a influência da publicidade também estão entre os assuntos abordados.

Como se encontram em uma fase de transição do desenvolvimento físico e psíquico, as políticas públicas que tocam na interface entre a infância e mídia precisam ser cada vez mais aprimoradas. Dessa forma, a cartilha “Infância e Comunicação: Uma agenda para o Brasil” busca promover a conscientização da sociedade sobre a importância dos conteúdos midiáticos na formação de meninos e meninas. O material será distribuído durante as conferências entre as principais instituições que atuam nas áreas da comunicação e da promoção e defesa dos direitos da criança e do adolescente, mas pode ser baixado nos sites das instituições.

PARA FAZER O DOWNLOAD DA CARTILHA “INFÂNCIA E COMUNICAÇÃO: UMA AGENDA PARA O BRASIL, CLIQUE AQUI.

Publicado em http://www.andi.org.br 10/12/2009 (Pauta ANDI)

Deixe um comentário

Arquivado em infância

Documentário em vídeo

Fizemos uma adaptação da linguagem radiofônica para a linguagem audiovisual e produzimos um pequeno    vídeo.

Usamos o off do  documentário radiofônico, as fotos que tiramos na simulação de pauta e na redação do jornal, gravamos pequenos trechos de imagem em movimento.  A adaptação é uma técnica possível e  ela é uma ótima estratégia pedagógica para demonstrar aos alunos  as diferenças existentes entre as linguagens e as fragilidades a que se expõe o texto original quando ela é usada.  Muitas vezes são necessárias mudanças na ideia original.  No nosso caso conseguimos manter a estrutura usada originalmente no roteiro de rádio.

Deixe um comentário

Arquivado em Arquivos, Comunicação, Oficinas EaM

Roteiro do Documentário Radiofônico – jornal

Este é o roteiro do documentário radiofônico produzido no curso de Educação às Mídias sobre o jornal impresso:    roteiro-de-radio sobre o jornal

1 comentário

Arquivado em Arquivos, Comunicação, Oficinas EaM

Rádio documentário

Produzimos um documentário em áudio falando sobre a produção de um jornal. É resultado da vivência que tivemos na simulação da reunião de pauta, somada à visita ao Jornal da Cidade. Confira:
http://ligiabeatriz.podomatic.com/player/web/2009-06-25T09_15_37-07_00

Deixe um comentário

Arquivado em Arquivos, Comunicação, Oficinas EaM

Atividade de simulação de pauta

Atividade: Simulação de reunião de pauta para elaboração de um programa radiofônico

Proposta: Selecionar 3 notícias para serem veiculadas em um programa radiofônico semanal em uma emissora local. O programa é uma conquista do coletivo dos professores que atuam em sala e aula. É um programa de curta duração.

Públicos-alvo: pais, alunos, professores, profissionais da educação (dirigentes) e sociedade.

Objetivo que se tem ao falar com cada público:

– professores: troca de ideias, diálogo, interatividade.

– sociedade: obter o apoio da opinião pública.

– pais e alunos: transmitir informações.

– profissionais da educação: fazer solicitações, descrever fatos ocorridos no ambiente escolar; reivindicar condições melhores de trabalho…

Para refletir: deve-se ceder espaço no programa para divulgar notícias de algum desses públicos se solicitado? Qual o critério de decisão.

As notícias propostas foram:

– greve dos professores da rede estadual de SP

– concurso público no município vizinho de agudos

– retorno da venda de salgados fritos nas cantinas

– violência/ drogas – festa junina da EE Brizola

– sabri (sistema de avaliação da EE Brizola)

– nova legislação anti-fumo

– subsídio do governo para compra de notebooks pelos professores

– falta de funcionários nas unidades escolares

– reforma da Diretoria de Ensino de Bauru

– concurso de professores da rede estadual- novas regras

– proposta de passeio com os alunos da rede no Alameda Quality Center (exposição)

– instalação de microcomputadores novos na escola e possibilidades para seu uso

Critérios definidos para a escolha das noticias que serão veiculadas: atualidade e maior abrangência de público. O critério ineditismo foi acrescentado após a leitura do material estudado em oficinas anteriores.

O diálogo entre os professores participantes da simulação para escolher as reportagens a serem veiculadas foi um debate imparcial. Tentou-se discutir sobre os tópicos e todos se posicionaram a respeito dos temas. O grupo decidiu que as seguintes notícias serão veiculadas:

-greve: por sua atualidade, interesse público e prestação de serviço.

-drogas/violência: pela atualidade, ineditismo, interesse público.

-concurso para professor, novas regras: pela atualidade,interesse público, prestação de contas.

Deixe um comentário

Arquivado em Arquivos, Oficinas EaM

Profs avaliam atividade de simulação de reunião de pauta

A simulação de reunião de pauta nos fez refletir sobre a importância das habilidades que poderiam ser desenvolvidas nos alunos ao realizar-se a atividade com os mesmos nas escolas de ensino médio:

* Compreensão de critérios a serem seguidos na escolha das notícias a serem veiculadas;
* trabalho em equipe;
* capacidade de ouvir;
* argumentação;
* tomada de decisão;
* controle do tempo;
* respeito as ideias das outras pessoas do grupo;
* poder de persuasão (convencer);
* organização;
* trabalho colaborativo;
* repertório (conhecimento da notícia), “gancho para novas notícias”

Carla, Marina, Edna, Rau, Samir, Thais.

Deixe um comentário

Arquivado em Arquivos, Oficinas EaM